quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Chinese Democracy

Muita gente aqui gosta de ler o blog do Schwartzman, que inclusive tá aí do lado nos links. E todo mundo se pergunta por que o cara gasta tanto tempo com os comentários. Qualquer bobagem que dizem por lá recebe resposta. E isso acaba incentivando mais e mais bobagens.

Agora eu descobri que existe gente pensando sobre esse fenômeno. Esse cara argumenta que se o valor marginal do comentário é decrescente e o custo de moderação é constante, a partir de algum ponto é melhor simplesmente bloquear (ou ignorar) os comentários.

Talvez o mais interessante seja o motivo para o valor marginal decrescente do comentário. Ele invoca a lei de Godwin, segundo a qual à medida em que o número de comentários numa discussão cresce, a probabilidade de alguém fazer alguma comparação involvendo Hitler (um argumento do tipo Reductio ad Hitlerum, para os interessados em lógica formal) se aproxima de 1. Em outras palavras, a chance de algum maluco aparecer e fazer um comentário nada a ver que leve a discussão para assuntos inúteis ou irrelevantes vai aumentando.

7 comentários:

Bernard Herskovic disse...

As pessoas discutem para “ganhar” a discussão, raramente você encontra dois indivíduos discutindo para aprender alguma coisa. Logo, qualquer tipo de argumentação vale. Outro dia me falaram que Hitler era socialista!?
Só para fazer um comentário meio nada a ver.
Um “fracasso” de vendas:
http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u474116.shtml

Tiago Caruso disse...

Impressionante a Lei de Godwin, bastaram 7 membros no blog para que surgisse um comententario nada a ver sobre Hittler.

Guilherme disse...

Interessante! E faz muito sentido. O Greg Mankiw decidiu retirar a sessão de comentários de seu blog. Como sou muito fã do blog do Schwartsman, vou parar de divulgá-lo.

Quanto ao Hitler ser socialista, acho que o cara não quis dizer exatamente isso. O que ele quis dizer é que a economia alemã do período nazista era gerida com tanta intervenção estatal, que talvez estivesse mais próxima do(ou indo em direção ao) planejamento central do que de uma economia capitalista mais liberal. É um argumento do Hayek se não me engano.

Perdoem-me pelo comentário nada a ver com o post. Podem moderar-me se quiserem, hehe. Abraços!

Guilherme Lichand disse...

aqui no Brasil, e sendo o blog de Economia, acho que o análogo vale para o reductio al Marxium... e talvez uns 3 comentários já sejam suficientes pra isso

Bernard Herskovic disse...

Hahaha, e de política brasileira? Será reductio ad Lula, FHC...?
E tem também reductio ad Smith, Keynes,...?
Muito engraçado.

Tiago Caruso disse...

Vamos falar de Hitler afinal.

Guilherme, a comparação do Nazismo com Socialismo é feita pelo Hayek sim, se não me engano no próprio Caminho para Servidão. É o que ele se refere como o paradigma do Totalitarismo. Nazismo seria uma forma de totalitarismo de direita e Socialismo de esquerda.

Alguns pontos comuns de ambas as formas de totalitarismo seriam a repressão aos meios de comunicação, o partido único, a burocratização, regulação da vida privada dos individuos, críticas a economia de mercado e a modernidade e a patrulha ideológica.

A comparação não é tão absurda assim se você considera que o partido de Hitler se chamava Nacional Socialista Trabalhista.

E eu aceito o Chinese Revolution de amigo oculto.

abs

Guilherme Ayres disse...

duas coisas: a Lei de Godwin nao serve para todas as discussoes. Eh possivel discutir ad infinutum futebol sem chegar em Hitler.

E Hayek considerava fascismo e comunismo duas formas de "coletivismo". E que todo coletivismo era ruim. Os socialistas de fato deserdam o Hitlerr apontando o fato de que o nazismo eh altamente racista enquanto o socialismo eh universal e cosmopolita, e historicamente foi anti-racista. Acho q o Hitler seria um hibrido, um socialista racista. O que para os socialistas seria como um socialista capitalista.