segunda-feira, 11 de maio de 2009

Ignorância

Hoje chegou o seguinte comentário de um Anônimo (eu cortei o final do comentário pra não ficar muito longo):

"totalmente off topic só pra zoar o trouxa que acha que não é vantagem ser empregado público:

Na Folha

"Os trabalhadores do setor privado estão perdendo a corrida para os funcionários públicos em termos de rendimentos. De dezembro de 2002 a fevereiro de 2009, o crescimento dos salários do setor privado, com e sem carteira, foi de apenas 8,7% em termos reais, isto é, descontada a inflação de 43,3% no período. O aumento real da remuneração média dos servidores na ativa do Executivo Federal, no mesmo período, foi 8,5 vezes maior do que a do setor privado, atingindo 74,2%. O aumento real da remuneração na ativa do Legislativo chegou a 28,5%, e o do Judiciário foi de 79,3%."

Me irrita o tamanho da burrice das pessoas. O que esses dados querem dizer se eu não sei o quanto mudou, por exemplo, a escolaridade média relativa? E eu aposto que o mesmo anônimo ainda vai aparecer nos comentários desse post e soltar mais uma atrocidade dessas...

Mas deixando isso de lado, eu já vi trabalhos sérios que mostram que EM MÉDIA, controlando pra todos os determinantes de renda e (esse ponto é importante) para as diferenças na aposentadoria, os servidores públicos ganham mais. Pelo que eu lembro, mesmo se você olhasse para os percentis superiores de renda isso continuava valendo. Mas nada disso contradiz o que eu escrevi no post antigo.

29 comentários:

Daniel disse...

Concordo, mas nao se irrite com os comentários. Faz parte questionar, se forem rudes, trate os cavalos com educação.


Abraços

Theo disse...

Na linha do que você sugere, veja a dissertação de mestrado do Breno Gomide Braga.

Link: http://www2.dbd.puc-rio.br/pergamum/biblioteca/php/mostrateses.php?open=1&arqtese=0610505_08_Indice.html

Retirado do texto: "Encontramos evidências de que, utilizando como variável de interesse o
rendimento do trabalho padronizado, os trabalhadores com pouca escolaridade
são beneficiados com elevados prêmios salariais no setor público. Também foi
encontrado que para trabalhadores com maiores níveis de capital humano o
hiato tende a desaparecer ou mesmo a tornar-se favorável ao setor privado.
Uma explicação apresentada nesse trabalho para esse fenômeno é a existência
de tetos e pisos salariais bem definidos no setor público. Adicionalmente, foi
visto que boa parte da heterogeneidade do diferencial público-privado para
trabalhadores educados é explicada pela escolha ocupacional."

Anônimo disse...

"O que esses dados querem dizer se eu não sei o quanto mudou, por exemplo, a escolaridade média relativa? "

Mas a escolaridade media relativa nao pode ter mudado muito em poucos anos. Alias, eh razoavel assumir que para todos os efeitos a escolaridade media relativa eh constante em tal periodo de tempo.

"O"

Pedro Henrique C.G. de Sant'Anna disse...

http://www.scielo.br/pdf/rbe/v59n4/a01v59n4.pdf

Está uma abordagem do problema, utilizando regressão quantílica, ou seja, eles têm a distribuição condicional completinha....

Bacana o texto...

Rafael M disse...

"O", eu discordo.

A quantidade de contratações do governo não é desprezível e os salários provavelmente estão numa alta histórica, o que provavelmente atrai pressoas mais qualificadas.

Theo e Pedro, obrigado pelas dicas.

Anônimo disse...

Mas a escolaridade media relativa nao pode ter mudado muito em poucos anos. Alias, eh razoavel assumir que para todos os efeitos a escolaridade media relativa eh constante em tal periodo de tempo.

Thanks for the assist.

Desculpa mesmo por ter te chamado de trouxa.

Mas é que as evidências que empregados públicos ganham mais que trabalhadores privados são bem "evidentes".

Estava falando do seu post antigo, que era errado, simplesmente, além de todos os seus comentários (que a previdencia dos funcionarios publicos é deficitaria, etc). Mas é assim, vivendo e aprendendo.

Anônimo disse...

o paper indicado acima diz que:

Os resultados obtidos revelam que o diferencial a favor do setor p´ublico ´e maior na cauda inferior da distribui¸c˜ao de sal´arios, declinando constantemente `a medida em que nos deslocamos em dire¸c˜ao `a cauda superior.
A revers˜ao da vantagem do setor p´ublico ocorre apenas em casos espec´ıficos.

Guilherme Lichand disse...

Vocês estão deixando passar um ponto... mesmo que os salários fossem exatamente iguais para uma ocupação no setor público vs. no setor privado, uma vez que se coloque o problema em termos de diferenciais compensatórios, fica claro que o salário de equilíbrio deveria ser menor no cargo público, para compensar para a amenidades descritas pela estabilidade no cargo e benefícios previdenciários expecionais (quando se aplicam).

Em outras palavras, mesmo quando controlando-se para todas as variáveis relevantes o salário no emprego público é menor, ainda assim é possível que ele seja alto demais.

Anônimo disse...

o seguinte texto do paes de barros, elucida um pouco a questao

THE PUBLIC-PRIVATE WAGE
GAP IN BRAZIL
http://www.ipea.gov.br/pub/td/td_2000/td0754.pdf

Anônimo disse...

Vocês estão deixando passar um ponto... mesmo que os salários fossem exatamente iguais para uma ocupação no setor público vs. no setor privado, uma vez que se coloque o problema em termos de diferenciais compensatórios, fica claro que o salário de equilíbrio deveria ser menor no cargo público, para compensar para a amenidades descritas pela estabilidade no cargo e benefícios previdenciários expecionais (quando se aplicam).

Não posso concordar mais.

Pra ter uma ideia de como é mais vantajoso ser empregado público, tenha em mente que você não pode ser demitido a qualquer hora (pense que quando se está desempregado, não se recebe salário, nem outra compensação), sofre muito menos com estresse (há exceções, claro) etc.

Anônimo disse...

the bottom line:

É racional que indivíduos com qualquer nível de escolaridade procurem (e prefiram) empregos públicos.

Essa afirmação merece um escrutínio maior, mas me parece um retrato fidedigno da realidade.

Tiago Caruso disse...

Concordo com o "O" não acredito que a educação tenha mudado muito nesse tempo.

Acho que o comentário do anônimo e o texto da folha fazem sentido. No entanto, eles tendem a exagerar a valorização do emprego público, uma vez que olham apenas o governo Lula quando esse se valorizou mais comparativamente. Se olhássemos um período maior, talvez isso não ficasse tão evidente. Acredito que hoje em dia as vantagens de se ser funcionário público são menores que na geração de nossos país, mas eu falo isso sem ter olhado os dados e posso estar totalmente equivocado.

Abs

Rafael M disse...

"Estava falando do seu post antigo, que era errado, simplesmente, além de todos os seus comentários (que a previdencia dos funcionarios publicos é deficitaria, etc). Mas é assim, vivendo e aprendendo."

Você queria dizer "apesar" no lugar de "além"? Espero que sim.

Rafael M disse...

Sério, alguém acha que nos últimos 7 anos a escolaridade relativa não mudou?

Lindóia disse...

Minha opinião, sem olhar para dados, é simplista (talvez até demais): Quem é preguiçoso e está feliz com 8k/mês sem fazer nada, vira funcionário público. Quem gosta de produzir, acredita na sua capacidade e acha que consegue atingir patamares mais altos, corre atrás e bate de frente com todos os riscos e incertezas do setor privado.

Acho que a grande maioria dos que lêem ( e escrevem ) nesse blog preferem a segunda opção.

Anônimo disse...

Minha opinião, sem olhar para dados, é simplista (talvez até demais): Quem é preguiçoso e está feliz com 8k/mês sem fazer nada, vira funcionário público. Quem gosta de produzir, acredita na sua capacidade e acha que consegue atingir patamares mais altos, corre atrás e bate de frente com todos os riscos e incertezas do setor privado.


No setor público não se ganha "8k" (em valores de hoje), pela vida toda, pra começo de conversa.

E no setor privado se ganha bem menos que isso, com sorte vc vai ganhar "20k". Em muitas carreiras públicas como o Bacen você ganha isso sem muito esforço.

Ser preguiçoso? Peraí, existem empregos públicos e empregos públicos... Você acha que não vai usar o seu cérebro trabalhando, sei lá, na área de engenharia de Petrobras?

"Você queria dizer "apesar" no lugar de "além"? Espero que sim."

Se não ficou claro, eu quis dizer que tudo o que você escreveu está errado. Você quer os dados sobre a previdência dos sevidores?

Tiago Caruso disse...

Lindóia,

acho que 6/7 blogueiros constituem uma grande maioria.

Guilherme Lichand disse...

kkkkkkkkkkk

Theo disse...

kkkkkkkkkkk

Rafael M disse...

""Você queria dizer "apesar" no lugar de "além"? Espero que sim."

Se não ficou claro, eu quis dizer que tudo o que você escreveu está errado. Você quer os dados sobre a previdência dos sevidores?"

Por favor, pega os dados e me mostra. Minha opnião a priori é que você é retardado mental, mas de repente você me convence do contrário.

Theo disse...

Vamos manter a educação, por favor, Rafael.

Anônimo disse...

"Ser preguiçoso? Peraí, existem empregos públicos e empregos públicos... Você acha que não vai usar o seu cérebro trabalhando, sei lá, na área de engenharia de Petrobras? "


Nao entendi o exemplo. Afinal, desde quando a Petrobras eh emprego publico?

Anônimo disse...

"Se não ficou claro, eu quis dizer que tudo o que você escreveu está errado. Você quer os dados sobre a previdência dos sevidores?"

Mas acho que temos que levar em consideracao que os salarios dos funcionarios publicos estao em um pico, como consequencia de 6 anos de um governo cuja prioridade suprema eh transferir renda para a elite do funcionalismo publico. O que nao esta claro para mim eh que os salarios relativos vigentes hoje em dia sejam sustentaveis.

"O"

Anônimo disse...

Quanto a educacao relativa, tenho certeza que um de voces pode dar uma olhada na PNAD, nao?

tuiuiu disse...

PQP.
Fala-se em aumento relativo nos últimos anos e os caras me vem com papers sobre diferencial de salários (estático).

Anônimo disse...

"Por favor, pega os dados e me mostra. Minha opinião a priori é que você é retardado mental, mas de repente você me convence do contrário."

Nossa, q meda.

Quem disse que eu faço questão de te convencer de qualquer coisa, moleque?

É, eu sou retardado mesmo. Foda é todo mundo no seu blog (alguém pode falar pra esse bebê grande parar de monopolizar o blog com essas bobagens?) concorda que os empregados públicos ganham mais.

Os dados estão no livro do Fabio Giambiagi, "Reforma da Previdência: O encontro marcado". Deixei o meu exemplar no trabalho, então você vai esperar até segunda-feira pra ganhar seu pirulito (se eu lembrar).

PS: Qual o ponto de se xingar uma pessoa totalmente anônima?

Lindóia disse...

Pq q a maioria das pessoas que postam nos blogs de economia tem um (pseudo) senso de humor a lá Alex Schwartsmann? Q tristeza isso, minha gente.

Tiago Caruso disse...

R: Porque a maioria das pessoas que comentam tem um cérebro de quermesseiro.

Rafael M disse...

Quão contraditório é um sujeito que comenta anonimamente num blog me chamar de moleque?