quarta-feira, 27 de agosto de 2008

O Maldito Pré-Sal

Essa descoberta nova da Petrobrás tem sido uma grande oportunidade de se ver como funciona a cabeça dos brasileiros.

Começando pela forma como foi "anunciada". Um diretor da ANP, Haroldo Lima, durante um seminário na FGV, deu com a língua nos dentes (link). Ao divulgar um fato relevante sobre uma empresa listada em bolsa desta forma, o Haroldo coloca todas as pessoas que não estavam presentes no seminário em total desvantagem frente aos presentes. Como funciona a cabeça do brasileiro? O brasileiro despreza a economia de mercado e não se julga responsável pelo seus atos. Quando procurado posteriormente para dar explicações, Haroldo disse que não é subordinado à CVM (ok, o fernandinho beira-mar não é subordinado à polícia federal...). Também disse que o problema é da bolsa de valores, que ele nem sabe onde fica (link).

Depois disso começou a ladainha do petróleo é nosso (link). Nós? Quem é "nós"? O petróleo é de quem for dono da empresa que tiver o direito de explorá-lo. Como funciona a cabeça do brasileiro? O brasileiro preenche o seu fracasso com o sucesso do outro. Tudo bem o seu José ser um f***do na vida, mas o petróleo é dele!!

Agora vem o pior. De uns 10 dias para cá começaram a surgir notícias e mais notícias do tipo "Ministro fulando quer dinheiro do pré-sal para a saúde", "Lula quer dinheiro do pré-sal para combater a miséria"(link, link, link, link...). Como é que o brasileiro pensa? Vou ter que dividir a resposta em duas.

Primeiro, brasileiro é burro. Que dinheiro?! Petróleo só vale dinheiro entregue no endereço do comprador. Enquanto estiver lá a 7000 metros de profundidade, não vale 1 centavo. E para explorá-lo é necessário investimento e tempo. Não adianta querer repartir o butim agora se não se sabe ainda se haverá butim e, se houver, só chegará em um ou dois anos.

Segundo, brasileiro é preguiçoso e mau-caráter. Acha correto receber dinheiro sem trabalhar e gastar o dinheiro dos outros. Basta surgir uma oportunidade.

Ps.: antes que comecem a falar nos comentários que nem todo brasileiro é assim, que toda generalização é burra, etc, etc, eu sei disso tudo. Mas ainda assim, para mim, esse é o retrato do brasileiro.

Update: Mais um link espetacular para a sessão "quero meus 15%" para o deleite do leitor; link. (sugestão do Theo).

13 comentários:

Theo disse...

enquanto isso a Petrobrás dando subsídio à aviação brasileira (dominada por 2 (!) empresas...)

http://br.news.finance.yahoo.com/27082008/5/economia-diretor-da-anac-defende-subsidio-da-petrobras-avia.html

Tiago Caruso disse...

Não entendi, sua revolta é contra o pré-sal ou contra os governantes?

Eu acho que o pré-sal abriu a caixa de idéias malucas de todos no governo: fundo soberano, nova estatais, expropriação. Entretanto, acho que esse governo terá dificuldade para fazer os investimentos necessários. A incompetência só transparece quando a competência é exigida.

Quanto aos seus argumentos sobre o povo brasileiro, eu tenho uma visão de economista sobre o assunto (como aliás, sobre quase tudo). Acho que mau-caratismo e burrice são bem distribuídos pelo globo. Nós só damos os incentivos errados.

Anônimo disse...

Ensinado os porquinhos parte 1:

O porquinho numero 1 disse que a petrobras, empresa 1/2 estatal, feia e bobona, dá subsídios à aviação do Brasil.
Coitada da aviação brasileira, a petro deveria subsidiar a bonbardier que armou falcatruas para estabilizar a empresa brazuca apenas por ser
brazuca.
Vale lembrar que de acordo com as espetáculares leis economicas que guiam o imaginário paico do porquinho rosa numero 2 a firma mais eficiente deve prevalescer.

Mal sabe o porquinho rosa, que ter uma visão de economista como essa é o mesmo que estar preso em um conto de fadas.

Esse porquinho deveria saber que pensar como economista é mais que distribuir titulos de burrice aos outros.

Cade a solução ortodoxa dos porquinhos ?

Rafael disse...

Anônimo,
Vou distribuir um título de burrice pra você, ok? Começando com uma bolsa de estudos da madame natasha para um curso de português. Paico é parco? Espetaculares não tem acento. "prevalescer" dispensa comentários. Mas pior que tudo isso, seu comentário não faz nenhum sentido. A bombardier quis estabilizar a embraer? Eu juro que se eu tivesse entendido alguma coisa eu te responderia com contra-argumentos ao invés de provocações infantis.

Tiago Caruso disse...

Espetáculares é primeira palavra proproparoxítona na lingua portuguesa.

Rafael, você deveria admirar os comentários surrealistas. Sentido, grámatica, lógica são entraves dos reacionários ao discurso livre.

Theo disse...

caruso, de qq maneira, você deveria permitir comentários livres no blog. Não vejo pq restringir a burrice alheia. Tira esse lance de "permissão" para postar comentários.

Tiago Caruso disse...

já tirei.
Como você acha que genialidades como essa apareceram?

lucas disse...

Rafael,
ignorando esta discussão inútil nos comentários, e indo ao ponto do seu texto. Exceto sobre a forma do vazamento de informações, seu texto não faz muito sentido.

1 - Nada mais natural que as pessoas comecem a especular o que farão com uma fonte bruta fonte de (prováveis) recursos no futuro.
2 - Parece provável q a Petrobras vai conseguir explorar os tais campos. A despeito do inchaço, corrupção, etc, ela tem a tecnologia, o fôlego financeiro, pra tocar os tais investimentos. Portanto nao é burrice acreditar no pré-sal.
3 - É claro q é correto receber dinheiro sem trabalhar se for o pagamento que é remuneração de um fator de produção de sua propriedade. Neste caso o petróleo é nosso mesmo. Obviamente q vai precisar pagar uma empresa para explorá-lo, mas é nosso.
Seu texto parece é sim é reflexo de um vício de auto-depreciação nacional, isso sim. Qualquer povo do mundo que teria reagido (e a reação foi super modesta, não é q estamos numa comoção nacional sobre este assunto) de forma similar.

Rafael disse...

1-As pessoas estão especulando com o dinheiro alheio. O que tem a ver receita de royalties com petróleo com previdência rural? Isso é o cúmulo do absurdo.
2-Não disse que a petrobrás não conseguirá explorar. Disse que ela precisa de dinheiro para fazer os investimentos necessários à exploração. Ninguém disse de onde o dinheiro vai sair, e o governo já quer dar um jeito de não desembolsar nem um centavo, apesar de ser o maior acionista da empresa que terá maior participação no campo.
3-Não é correto. Não é nosso.

Seria depreciativo se eu não colocasse todos os links que eu coloquei. Uma vez documentado, deixa de ser depreciação e passa a ser constatação.

Qualquer povo que não tenha a cabeça do brasileiro estaria preocupado com os seguintes pontos:
1) Que imposto podemos extinguir quando começarem a entrar em cena os royalties?
2) Como aliviar os efeitos de uma possível doença holandesa?
3) Será que é saudável ter uma só empresa como uma porcentagem tão grande do PIB? (Vi uma projeção da petrobrás atingindo 10% do PIB).

Rafael disse...

Como o brasileiro pensa? Brasileiro gosta é de oba oba. Se preocupar com o que pode dar errado? Jamais.

Raphael disse...

Assunto polêmico....gostei!
Generalizando tb, acho q as pessoas procuram conquistar as coisas do jeito mais fácil e daí surge o mau-caratismo e outras características q o Rafael mencionou. Acho q o petróleo favorece apenas aqueles q o exploram mas se perguntarmos p/ pessoas q moram em municípios q recebem royalties em maior quantidade provavelmente eles vão dizer q o petróleo é deles pois mtas reformas nas áreas vieram dos royalties.
O lucas comentou algo não mto claro: "É claro q é correto receber dinheiro sem trabalhar se for o pagamento que é remuneração de um fator de produção de sua propriedade. Neste caso o petróleo é nosso mesmo. Obviamente q vai precisar pagar uma empresa para explorá-lo, mas é nosso."
Caso eu descubra uma mina de ouro na minha propriedade, quer dizer q ela é de todos ou só minha? Pode ser um comentário meio bobo ou minha sobre a coisa estar errada mas mesmo q eu contrate uma empresa p/ explorá-la, somente eu, a empresa e se quiserem o governo serão beneficiados.......
Qto a como eles vão conseguir esse dinheiro é moleza MANO, do mesmo q a Vale e outras conseguem, empréstimos de diversos bancos, sei até de um mas aí é inside information, preciso de um diferencial (confia hein Caruso)!
Por fim, dois comentários relevantes:
1- O Anônimo até agora não concordou com nada q vcs disseram simplesmente pq ele não entende o q vcs escrevem. Por favor não o depreciem ao pensarem q o mesmo seja burro, ignorante ou algo do tipo!
2- Todo esse reflexo sobre o povo brasileiro nos faz pensar em um caso mto especial. Dado q as pessoas buscam sempre o caminho mais fácil, pensem pq, em geral, mulheres "fenomenais" não estudam economia (desculpa Caruso).

Theo disse...

Lucas, se você ler o artigo do Prof. Marcio Garcia a ser divulgado amanhã (29/08) no Jornal Valor Economico, verá que ali ele cita: "Estimativas do banco UBS indicam serem necessários cerca de US$ 600 bilhões em investimentos, para extrair o petróleo da área já conhecida do pré-sal."

Você diz em seu comentário que (a Petrobrás tem) "fôlego financeiro, pra tocar os tais investimentos". Se tomarmos como exemplo o ano de 2007, onde a Petrobrás teve receita de R$218 BI, lucro líquido de R$21,50 BI, vemos que a Petrobrás parece pequena hoje para tais investimentos. É necessário sim mudar a estrutura acionária por novas emissões: ações, debêntures...

Abs, Theo

Tiago Caruso disse...

Eu acho salutar o governo pensar em como garantir que gerações futuras tenham acesso aos lucros do pré-sal. Acho idiotas as conclusões que eles tiram, como fundo soberano e outros.

Concordo com o que o Lucas falou sobre receber sem trabalhar. O Alaska por exemplo paga diretamente a seus habitantes os lucros do petróleo e essa é a melhor forma de distribuí-los.

No caso do Brasil há uma forma ainda mais simples e eficiente de dar o dinheiro para gerações futuras. Que tal começar a pagar dívida pública recomprando títulos do governo? Quero ver o fundo soberano render mais do que isso.