sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Exemplificando

Hoje li um excelente exemplo do comportamento que me incomoda na esquerda brasileira. Fernando Morais é um sujeito extrmamente culto. A biografia do Chateaubriand que ele escreveu é sensacional e totalmente imparcial. Ele é amigo do Lula e Castrista desde criança. Eu acho quase impossível que ele acredite na resposta que ele deu ao jornalista do Valor:

Valor: Como você consegue conviver com a falta de liberdade de imprensa em Cuba?

FM: Cuba é um país em guerra. Sofre embargo econômico e está sob ameaça permanente de invasão pelo mais poderoso complexo militar do mundo. O inimigo está ali, a 200 quilômetros. Todo país em guerra controla seus meios de comunicação.

É doublethink puro, saído diretamente de 1984.

30 comentários:

L. T. disse...

Polemizando...

Qual é o signficado de liberdade de imprensa para os 50% mais pobres no Brasil? E para os 30%? E para os 10%?

Existem coisas que são difíceis de ponderar, pesar o que é mais importante. Liberdade de imprensa ou saúde e educação para todos? É claro que o ideal seria ter essas 3 coisas ao mesmo, mas o Fernando Morais, claramente, privilegia outras coisas, q não a liberdade de imprensa.

Galego disse...

O L.T. tem toda a razão.
O Fernando Morais privilegia que todos vivam como os 10% mais pobres do Brasil.

Guilherme Lichand disse...

kkkkkkkkkk

Michel disse...

é...eu tava tendo uma discussão com o Lichand sobre filosofia da ciência, que me botou pra pensar pra cacete e aprender pra cacete....e de repente, passei para "o que é mais importante: saude e educação para todos, ou liberdade de imprensa?"... Como se os dois fossem rivais em alguma situação concebível...

Rafael M disse...

L.T,

Não tem nada de polêmico. Você só levou o doublethink do FM um passo à frente.

Sinto muito, mas esse argumento é ridículo.

Tiago Caruso disse...

É, o nível de discussão está realmente ruim.

L. T. disse...

Então elevem o nível da discussão...

L.T.

ps.: não acho q saúde e educação e liberdade de imprensa tenham q ser rivais. Mas são poucos os países no mundo que conseguem conciliar isso satisfatoriamente.

Rafael M disse...

Noruega?
Autrália?
Islândia?
Canadá?
Irlanda?
Holanda?
Suécia?
França?
Suíça?

Posso continuar a lista do IDH até pelo menos o trigésimo país. Todos conciliam muito bem saúde, educação e liberdade de imprensa.

L. T. disse...

Rafael M,

Concordo contigo. Esses países conciliam bem educação, saúde e liberdade de imprensa. Provavelmente, isso também ocorre até o trigésimo da lista de IDH.

A questão é que existem pelo menos 192 países no mundo (esse é o número de membros da ONU). Acho 1/6 pouco. Como aumentar o número de países que consigam conciliar isso, evidentemente não foi respondido de forma satisfatória.

Anônimo disse...

Acho que a questão não é conciliar "as 3 coisas" e sim se não ter liberdade de imprensa implica em uma melhora nas outras duas. Não vejo nenhum sentido nesta afirmação. Porque quem "privilegia" saúde e educação deveria achar razoável que Cuba não possua liberdade de imprensa? Uma imprensa livre em Cuba implicaria em perda de qualidade na educação e saúde?

Rômulo

Michel disse...

L.T.,

Você está factualmente errado. Pra começar, você está confundindo correlação com causalidade. Mas pior que isso é que a correlação que você aponta não existe (e, se existir, é no sentido contrário): educação tem correlação não negativa com democracia (Mulligan, Gil e Sala-i-Martin (2004); Acemoglu, Johnson, Robinson e Yared (2006), Glaeser et al (2005)); democracias investem sistematicamente mais em saúde que não democracias, e os habitantes de países democráticos tem expectativa de vida sistematicamente maior (Besley e Kudamatsu (2006)).

"O" Anonimo disse...

Mas quem disse que Cuba e exemplo de educação e saude? A saúde publica em Cuba eh um horror, com dengue endêmica, epidemias de cegueira devido a falta de vitaminas na nutrição, falta de remédios para 95% da população etc.

Galego disse...

Sempre é bom olhar o ranking da Heritage de liberdade econômica.

Comparar os 30 primeiros países (aqueles, que, coitadinhos, são explorados pelo cruel capitalismo) com os "exemplares" 30 últimos é bastante salutar.

Anônimo disse...

Bem, acho que a discussão está viesada. Cuba sofre um embargo econômico que muda toda a configuração. Uma das velhas táticas de guerra é cercar o acesso de suprimentos ao inimigo. Os Estados Unidos fazem isso muito bem. Agora, talvez a solução fossem os Castros jogarem a toalha... Como eles não vão fazer isso (ideologia pra eles vale muito na função utilidade), usam as armas que têm pra sobreviverem (por mais nocivas que sejam essas armas).
Se os Estados Unidos, o grande símbolo da Democracia e Liberdade, fizeram o que fizeram em Guantânamo com prisioneiros de guerra, quebraram uma série de direitos individuais pela luta contra o Terror, vcs realmente acham estranho o Fidel acabar com a liberdade de imprensa em Cuba em prol da Revolução?

Os Estados Unidos estão matando Cuba de inanição. Acho que eles poderiam influenciar muito mais a democratização da Ilha acabando com o embargo do que continuando com a estratégia atual...

Anônimo disse...

"Os Estados Unidos estão matando Cuba de inanição. Acho que eles poderiam influenciar muito mais a democratização da Ilha acabando com o embargo do que continuando com a estratégia atual..."

Duvido que haja algum produto que a Ilha necessite que não possa ser comprado em outros mercados. No mais, eles não exportam porra nenhuma, como vão importar?

Anônimo disse...

Meio ridículo afirmar que a ausencia de liberdade de expressão em Cuba se deve ao embargo americano. 

A ausência de liberdade de expressão não eh um "bug", mas sim um "feature" da ideologia de Castro. 

Foi exatamente para destruir a liberdade de expressão e outras liberdades individuais que o regime castrista matou, torturou, aprisionou dezenas de milhares.

O objetivo dos castristas era destruir os direitos individuais para que o Partido se mantivesse por tempo indeterminado no poder. Que tenha sido um desastre economico eh o preço que o regime aceitou pagar para poder se perpetuar.

Anônimo disse...

"Duvido que haja algum produto que a Ilha necessite que não possa ser comprado em outros mercados. No mais, eles não exportam porra nenhuma, como vão importar?"

Exemplos de como funciona o embargo:

"É proibido empresas de terceiros países a exportação para os Estados Unidos de qualquer produto que contenha alguma matéria-prima cubana (A França não pode exportar para os Estados Unidos uma geléia que contenha açúcar cubano).
É proibido a empresas de terceiros países que vendam a Cuba bens ou serviços nos quais seja utilizada tecnologia estadunidense ou que precisem, na sua fabricação, produtos dessa procedência que excedam 10% do seu valor, ainda quando os seus proprietários sejam nacionais de terceiros países.
Proibe-se a bancos de terceiros países que abram contas em dólares norte-americanos a pessoas individuais ou jurídicas cubanas, ou que realizem qualquer transacção financeira em essa divisa com entidades ou pessoas cubanas, em cujo caso serão confiscadas. Isso bloqueia totalmente Cuba de utilizar o dólar em suas transações de comércio exterior.
É proibido aos empresários de terceiros países levar a cabo investimentos ou negócios com Cuba, sob o suposto de que essas operações estejam relacionadas com prioridades sujeitas a reclamação por parte dos Estados Unidos da América. Os empresários que não se submetam a essa proibição serão alvo de sanções e represálias como o cancelamento, ou não renovação, de seus vistos de viagem aos Estados Unidos [18] [19] ."



da wikipedia (http://pt.wikipedia.org/wiki/Embargo_dos_Estados_Unidos_a_Cuba)

Anônimo disse...

"Meio ridículo afirmar que a ausencia de liberdade de expressão em Cuba se deve ao embargo americano. "

Bem, o bloqueio é considerado ato de guerra:

"Desde 1909, na Conferência Naval de Londres, ficou definido como princípio do Direito internacional que o “bloqueio é um ato de guerra” e nessa base, o seu emprego é possível unicamente entre os beligerantes.

Por esse motivo, o bloqueio contra Cuba é considerado como um ato de guerra econômica. Assim como o Direito Internacional classifica o bloqueio como genocídio, pois não haveria nenhuma norma internacional que o justifique em tempos de paz."

A ONU condena o bloqueio e assim como fez para no caso do Iraque, os Estados Unidos estão pouco se lixando pra isso:

"Este embargo permanece uma questão extremamente controversa em todo o mundo, e é formalmente condenado pelas Nações Unidas. A Assembléia Geral das Nações Unidas em 2007, "determinada a encorajar o estrito cumprimento dos objetivos e princípios consagrados pela Carta das Nações Unidas" (...) e "reafirmando, dentre outros princípios, a igual soberania das nações, a não-intervenção e a não interferência em seus assuntos internos "(..) [5] condenou, pela 16º vez consecutiva, o embargo imposto a Cuba pelos Estados Unidos, por 184 votos a quatro. Votaram a favor da manutenção do embargo apenas os próprios Estados Unidos, apoiados por Israel, Palau e Ilhas Marshall."

fonte: wikipedia

Anônimo disse...

Lança, Cuba lança!!!

Anônimo disse...

quem já foi a Cuba sabe a merda q é viver lá. Os cubanos só sabem reclamar, é um tanto deprimente.

Galego disse...

Eu já acho que Cuba perde uma grande oportunidade de enriquecimento... poderia faturar fortunas com o conceito de Spa.
As pessoas iriam, e teriam que viver 1 mês com a ração mensal dada pelo partido. Se alguém tentasse sair da linha, teria que se ver com os jagunços do PC cubano. Seria mais uma prova do estágio avançado da medicina cubana, com um método 100% eficaz de combate à epidemia de obesidade.

Anônimo disse...

Para o anônimo chupeteiro de ditadores,

(1) Não existe nenhum bloqueio ao comércio afetando Cuba. Isso é uma ficção mentirosa. Cuba é livre para fazer negócios com praticamente todos os países do mundo, assim como os cubanos se beneficiam de comida importada dos Estados Unidos, cortesia do contribuinte americano que subsidia os fazendeiros do Meio-Oeste (que se faz necessária porque Fidel foi bem sucedido em seu objetivo de destruir a agricultura cubana).

(2) Genocídio!? Você é um esbirro canalha que sabe o significado dessa palavra mas vulgariza-o para louvar seu ditador favorito, ou você é apenas um caipira ignorante?

Rafael M disse...

Olha que delícia

http://oglobo.globo.com/mundo/mat/2010/01/24/governo-venezuelano-tira-do-ar-pela-segunda-vez-canal-rctv-915694978.asp

"O" Anonimo disse...

Não ri dos venezuelanos porque dependendo de quem nós elegermos, podemos ter algo parecido em nossas bandas.

Galego disse...

"O", você está muito otimista hoje.
Eu já acho que, independentemente de quem elegermos, podemos ter algo parecido por nossas bandas...

Anônimo disse...

Como ninguém deu ideia nos comentários do blog do Alex, segue o link novamente, pois acho extremamente relevante, pois é bastante explícito quanto ao discurso que podemos assistir nos próximos anos:

Nelson Barbosa ataca:

http://www.joserobertoafonso.ecn.br/Site/aspx/AcervoPessoal.aspx?Tip=4

Creio que o debate de política econômica vai ficar com uma cara mais parecida com essa aí do link.

abs

"O" Anonimo disse...

Esse discurso tem pernas curtas. Com o endividamento do setor público aumentando, tanto no Brasil quanto no resto do mundo, a tendência é que a política se torne mais conservadora. Pode até ser que nademos contra a maré nos próximos 4 anos, mas a restrição orçamentária intertemporal não tem o hábito de perdoar.

Anônimo disse...

"Pode até ser que nademos contra a maré nos próximos 4 anos"

Esse é o problema... 2010 é ano de eleição e de relação Div/PIB cadente.

"O" Anonimo disse...

"Esse é o problema... 2010 é ano de eleição e de relação Div/PIB cadente."

Veremos no final do ano.

Anônimo disse...

Não esqueçamos que a idiotice não é monopólio da esquerda (seja lá o que isso for) do país.