segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Pirataria

Saiu um estudo interessante sobre o futuro da indústria da música (pdf aqui). O texto apresenta vários dados sobre a migração da mídia sólida para os arquivos em mp3. O único país onde a migração tem gerado resultados líquidos positivos para as grandes gravadoras até agora é a Austrália. Os piores? Brasil, Espanha e França (latinos, alguém?).

Nesses países a quantidade de downloads ilegais é muito maior do que no resto do mundo. Na Espanha, por exemplo, mais de 30% dos usuários de internet baixam música ilegalmente. Isso é mais do que o dobro da média européia. Mas mesmo em países onde a pirataria é "moderada", o ganho de receita com vendas virtuais tem sido insuficiente para cobrir a diminuição de receita vinda de vendas físicas. Nem mesmo a participação na receita de turnês é capaz de inverter a tendência de queda de faturamento e lucro.

O estudo aponta isso como causa de uma queda brutal nas novas bandas lançadas pelas grandes gravadoras. Nos últimos anos no Brasil, por exemplo, caímos de quase 700 novos discos de artistas nacionais para menos de 100. Quedas na França e na Espanha também foram acentuadas. Não sei quanto disso era porcaria fomentada pelo monopólio das gravadoras e quando é suprido por selos menores, mas desconfio que a resposta, pelo menos para a primeira pergunta, é: bastante.

É sintomática a notícia da semana passada n'O Globo sobre a banda "OK Go". Pelo nome pouca gente conhece, mas milhões de pessoas já viram o vídeo das esteiras rolantes. Recentemente a gravadora deles (EMI) travou a exibição do vídeo fora do youtube (Otrazendo todo o tráfico para as propagandas na página do vídeo). Os próprios músicos são contra o movimento, lembrando que foram esses vídeos que tornaram a banda conhecida.

18 comentários:

Seiji Fetter disse...

Lembrando que o estudo é publicado pela International Federation of the Phonographic Industry, braço internacional da Recording Industry Association of America, uma instituição sem viés nenhum em suas pesquisas. Ela e suas amiguinhas, como a Motion Picture Association of America, nos livraram do grande e mau The Pirate Bay (opa... peraí...); sua prima BREIN, na Holanda, acabou com outro demônio: o Mininova. Tudo em nome do pequeno artista, afinal o dinheiro arrecadado com os processos contra consumidores finais (estudantes, mães de família) vão direto pra ele (... ou será que era pra própria divisão que realiza os processos?). Mas neste mundo, em que 1 cópia pirata = 1 produto não vendido para os detentores de direitos autorais (como não rir dos relatórios?), não há mesmo espaço para uma política antipirataria mole. E por mole, entenda também transparente, afinal o que se passa pelos secretos encontros do ACTA? Tudo pela nossa segurança, e pela segurança do futuro da indústria criativa. Sem tamanha cautela, como implementar políticas de 3-strikes sem fazer o consumidor passar por um juíz? Pois é, o pirata é um ingrato. Está rodeado de alternativas legais e competitivas, no mundo inteiro! E ainda assim, comete o crime de querer compartilhar o que lhe interessa, o que lhe empolga, o que é bom, com amigos, familiares e, pasmem, um(uns) estranho(s) a quem não deve nada.

Anônimo disse...

Sou aluno da fea-usp e estou me preparando para a anpec deste ano, como vcs comparam o dep de economia da puc-rio com a epge??
o que comentam na usp é que a puc-rio perdeu mtos professores e a epge estaria melhor atualmente

grato

Rafael M disse...

Seiji, eu não sou radical defensor dessas entidades de classe. E, sem querer soar cliche, (tentar) fechar pirate bay e mininova na força bruta vai ser o mesmo tiro no pé que foi fechar o napster.

O pirate bay continua funcionando, por incrível que pareça. Mininova realmente acabou.

Anônimo, muita gente vem aqui perguntar isso. Primeiro, é fato que a PUC perdeu 2 excelentes professores. Mas contratou um e deve contratar mais 2 em breve. Sobre qual departamento é melhor, essa discussão vai longe, mas o fato é que os dois são os melhores do país. É uma questão pra você se preocupar depois da ANPEC.

Anônimo disse...

A Puc certamente tem uma inércia com relação ao nome... se for tirar o peso do nome da parada, eu a coloco em quinto lugar.

Mas como nome é nome, então fica em segundo. Só cai para quinto se não se recuperar.

Michel disse...

Primeiro anônimo,

Não me arrependo de ter vindo pra PUC, sou defensor da PUC ainda como o melhor depto de economia do Brasil. Agora, eu acho que a resposta depende muito da área que você quer para trabalhar. Discordo radicalmente do último anônimo.

De qualquer forma, posso te garantir que, qualquer que seja a tua área de interesse, você terá na PUC gente que pode te orientar bem.

Bernard Herskovic disse...

A migração dos produtos de audio, em especial CDs, para o meio digital é inevitável. Não se o estudo comenta isso, mas dentro da estratégia das gravadoras há o lançamento de produtos mais sofisticados, ou de luxo mesmo, com uma capa de papel e um livreto mais completo. No meio da redução nas vendas de CDs, há o aumento das vendas dos discos de vinil, porém ainda é um mercado mais restrito e muito menor.

Rafael M disse...

Mas Bernard, esses lançamentos de caixas de CD, versões "deluxe" e tal já é a estratégia do desespero.

Vinil é um nicho legal.

Anônimo, PUC e FGV são 1 e 2 (não necessariamente nessa ordem) e com um abismo de vantagem para quem quer que seja o terceiro (USP?).

Tiago Caruso disse...

Anônimo, sobre PUC e EPGE, dê uma olhada no post:

http://espectroeconomico.blogspot.com/2009/03/sobre-puc-rj-e-epge.html

mas concordo que a PUC e EPGE estão bem acima das outras.

Abs

Anônimo disse...

Contando o nome, a PUC está em segundo.

Esse negócio de que a resposta depende da área que você quer trabalhar só serve para relativizar. Estamos falando no geral, e no geral a puc está caindo. Com esse argumento eu posso falar que a Unicamp é a melhor do país... dependendo da área que vc quer estudar. Mas com certeza não é disso que estamos falando...

EPGE ganha, é só comparar o que está sendo produzido lá. No resto dos requisitos a EPGE ou é igual ou melhor.


Com certeza a PUC tem um ótimo placement, tanto para doutorado fora quanto para o mercado. Ela ainda tem nome.

Mas a produção de ótima qualidade vem caindo e nome por si só não se sustenta. Essa é uma fase de transição, a Puc ainda pega os melhores alunos da ANPEC (top 20), mas se não der um up... o que será daqui a 4 anos?

Anônimo disse...

Em termos de produção concordo com o anônimo! Não há termo de comparação entre EPGE e qualquer outro centro no Brasil. Ou seja, o abismo é entre EPGE e o resto do Brasil. A PUC, infelizmente, está mais para disputar um segundo lugar do que nesse patamar que vcs dizem...É claro, como alunos da PUC vcs tem mais é que defender seu centro, mas os números falam por si. No entanto, acredito que o placement da PUC talvez ainda seja o melhor mesmo.
ABS

Michel disse...

Anônimo, discordo de você. Acho que você não está muito atualizado com o que a PUC vem produzindo (mesmo tendo perdido o Sérgio Firpo e o Juan Pablo, que eram dois caras que publicavam bem).

E não...se você estiver falando de economia (com debates entre pessoas que acreditam na racionalidade), a UNICAMP não é a melhor em campo nenhum.

Tiago Caruso disse...

Prezados Anônimos,

acho que essa discussão já deu o que tinha que dar em outros posts. É inútil debater isso aqui uma vez que todos os membros desse blog, o Michel e todos os alunos da PUC, passamos para PUC, para EPGE e para outras e optamos pela PUC.

Anônimo disse...

Eu e mais dois amigos passamos na EPGE e PUC e preferimos a Unicamp. Acredito que, desqualificar as outras escolas não é bem o caminho. Acho que está na hora de mudar a estratégia...
Aproveito para deixar um parabéns ao Lichand, que de fato escreve coisas bem interessantes aqui.

Anônimo disse...

Não tenho duvida que a graduação na Unicamp é uma das melhores, o proprio Firpo confirma isso, mas a pós parece piada, alem do mais no ultimo ano o primeiro colocado no ME da Unicamp ficou acima dos 100 na Anpec, ou seja ninguem do mestrado da Unicamp dos ultimos anos passou na epge ou puc.

para acabar a questao, como vcs vem a EESP que contratou o Firpo e o Pedro Valls e esta com uma grade insana para o mestrado de 2010??, a grade esta no site

Tiago Caruso disse...

Não desqualifico ninguém, só disse que a discussão já foi feita trocentas vezes em outros tópicos. Procurem lá. E diss que por preferência revelada preferimos a PUC.

Agora que você e seu amigo passaram na PUC e EPGE e escolheram a Unicamp parece estranho. Até onde eu saiba ninguém entre os 20 o primeiros nos últimos 10 anos foi para Unicamp. Só acredito com provas.

Anônimo disse...

Como tem vários anônimos aqui, para me identificar, eu sou o primeiro anônimo que falou que a Puc está em segundo lugar.

Em primeiro lugar, esse anônimo que falou da Unicamp aí muito provavelmente está mentindo, ou E(X) = mentira. Eu DUVIDO e APOSTO se ele quiser. Para ELE e mais DOIS amigos terem passado na PUC e EPGE, eles teriam de ter estado entre os 30 primeiros.

Na PUC e EPGE todo mundo acaba descobrindo quem são os 30 primeiros e se eles tivessem recusado as duas para escolher a Unicamp, pode ter certeza que TODOS comentariam. Isso não passaria na surdina.

E você nem falou qual mestrado da Unicamp vc se refere... pq se for de desenvolvimento, me amigo, ali passa QUALQUER UM. Seria irracional vc passar entre os primeiros da ANPEC para entrar no mestrado em desenvolvimento da Unicamp. Então acredito que vc esteja se referindo ao mestrado de economia.

Mas, como o Caruso falou, ninguém aqui é cabeça fechada, traga a prova que eu calo a minha boca com o maior prazer.

c.

Enoch Filho disse...

Falando em anônimos... Cada anônimo deveria usar um pseudônimo, senão fica parecendo que todos são um!

=)

Anônimo disse...

Bom para eu provar eu teria que dizer quem sou, bem como quem são os meus colegas... e não ganho nada fazendo isso aqui.
Sinceramente não estou em um jogo para provar que a minha escola é melhor que a de ninguem.
Realmente não sou do desenvolvimento, mas não desqualifico quem opta por este curso.

Sem mais réplicas da minha parte.

Abs!